sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Companheira do #NMD ganha Concurso de Monografias de Relações Internacionais, promovido pela Fecomércio e IRIP

Os membros do Novo Movimento Democrático vêm conquistando mais espaços na sociedade e nas áreas profissionais, dentre elas, a área da pesquisa acadêmica. Foi realizada na noite de terça-feira (14), na sede da Fecomércio PR, em Curitiba, a cerimônia de premiação do primeiro Concurso de Monografias de Relações Internacionais, promovido pela Fecomércio PR em parceria com o IRIP (Instituto de Relações Internacionais do Paraná).

De acordo com o coordenador acadêmico do IRIP, Prof. René Berardi, dez instituições de ensino do Paraná e outros estados submeteram monografias de diferentes áreas pesquisadas, que foram avaliadas por uma comissão julgadora.

Para nosso orgulho, o primeiro lugar ficou com a nossa companheira do Novo Movimento Democrático, filiada do PMDB e assessora de comunicação da FUG-PR, Kauana Puglia Bandeira, graduada pelo Centro Universitário Internacional Uninter. Sua monografia com o tema “Ciberespaço: o processo de securitização no Brasil de Lula a Dilma”, orientado pela Prof. Caroline Cordeiro Viana e Silva, a premiou com R$ 2 mil e um fim de semana para duas pessoas no Hotel Sesc Caiobá. "A pesquisa acadêmica faz diferença na formação dos jovens e precisa ser estimulada, e a parceria entre a Fecomercio e o IRIP cumpre com este objetivo. Agradeço pela oportunidade que me deram para mostrar meu trabalho, que marca o início do meu caminho na pesquisa em Relações Internacionais", diz Kauana.

A monografia de Kauana se utiliza do quadro proposto pela Escola de Copenhague para perguntar em que etapa do processo de securitização o ciberespaço se encontra desde o primeiro governo de Lula até o início do primeiro mandato de Dilma Rousseff: não politizado, politizado ou securitizado. Para acessar o texto completo, clique aqui.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

PMDB de Curitiba lidera novas filiações no Paraná.

*por Rafael Xavier

Na contramão da tendência nacional de perda de filiados  de  3 dos  maiores partidos do Brasil (PMDB, PT e PSDB), conforme registra matéria publicada pela edição online da revista Época, veiculada no último dia 03[i], o PMDB da Capital paranaense teve significativo crescimento nos últimos 18 meses.

Em conformidade com os registros do TSE, nas últimas 4 atualizações (entre abril de 2016 e outubro de 2017 - vide imagem acima), o diretório municipal do PMDB curitibano  filiou  821 novos militantes, 38% a mais que o segundo colocado, o PSB. Em  comparação com os demais partidos citados pela reportagem da época,  a proporção de novos quadros em relação ao PSDB foi de  4 vezes mais filiados. Em relação ao PT, a proporção chega a 48 vezes novos membros a mais.

Após ficar 3 anos sem um diretório formalmente organizado, a base do partido voltou a se reunir. Nasceu, então, uma corrente interna que lançou uma sólida Carta de Princípios[ii], que prega,  dentre outros pressupostos, uma reforma política e eleitoral séria, a defesa intransigente da democracia, o combate incansável à corrupção, oxigenação interna dos partidos políticos e a construção de uma nova cultura política, com tolerância entre as pessoas  e participação social, além da defesa de um projeto sólido de desenvolvimento nacional.

O trabalho teve efeito, foram envolvidos diversos setores da sociedade civil organizada: professores, desportistas, empresários, funcionários públicos, cientistas políticos,  médicos, engenheiros, urbanistas, agentes culturais, lideres sindicais, estudantis e comunitários. Resgatamos militantes esquecidos,  os Vereadores e Deputados Estaduais voltaram a participar ativamente da vida partidária e foi eleita uma nova direção.

Há muito a ser comemorado com o resultado, que é  expresso nos números apontados acima. O envolvimento de novos filiados em um momento político de intensa crise de representatividade institucional, que afasta o cidadão médio da participação política, é uma conquista que deve ser enaltecida.

O PMDB tem compromisso com Curitiba. O trabalho do partido em conjunto com a bancada de vereadores, de deputados Estaduais e Senador, com apoio da Fundação Ulysses Guimarães, deve colher bons frutos já nas eleições de 2018 e, dando continuidade ao  planejamento traçado coletivamente pela atual gestão, eleger um Prefeito conectado com as reais necessidades da cidade e uma bancada robusta, que reverbere a voz das ruas na Câmara Municipal em 2020.

*Rafael Xavier Schuartz é Presidente do PMDB em Curitiba, Conselheiro Nacional e Vice-Presidente paranaense da Fundação Ulysses Guimarães e Coordenador Nacional do  #NovoMovimentoDemocrático


[i] http://epoca.globo.com/politica/expresso/noticia/2017/11/em-nove-meses-pmdb-pt-e-psdb-perdem-37-mil-filiados.html

[ii] http://novomovimentodemocratico.blogspot.com.br/2017/05/nmd-lanca-carta-de-principios-ao-brasil.html

sábado, 4 de novembro de 2017

Homem que é homem, também se cuida!

*por Paikan Salomon


Você ama os homens da sua família?


Na maioria das famílias existem homens em idade compatível e ou pertencentes aos grupos de risco do câncer de próstata. Este homem pode ser seu pai, seu irmão, filho, marido, namorado ou até mesmo ser você. Se você ama este homem e quer ele por mais tempo por perto, chegou a hora de falarmos sobre prevenção.

Você conhece a campanha Novembro Azul? O Novembro Azul é uma campanha importante de combate ao câncer de próstata e conscientização da importância de exames regulares e diagnóstico precoce. No exterior a campanha Começou em um Pub, na Austrália, em 1999. Um grupo de amigos teve a ideia de deixar o bigode crescer durante todo o mês como apoio à conscientização da saúde masculina e arrecadação de fundos para doação às instituições de caridade.  Hoje a campanha já é mundial. No Brasil, os pioneiros foram o Instituto Lado a Lado pela Vida em parceria com a Sociedade Brasileira de Urologia. A campanha ainda está crescendo por aqui, mas no ano passado foram realizadas 2.200 ações oficiais em todo o país. Diversas celebridades e instituições apoiam a campanha e muitos eventos são criados para espalhar informação e arrecadar dinheiro para a causa. Com toda essa iniciativa, hoje a Campanha Novembro Azul faz parte do calendário nacional de prevenções.

Vamos entender um pouco sobre o Câncer de Próstata:

A próstata é uma glândula no aparelho reprodutor masculino com a função principal de produzir o esperma. O câncer de próstata é quando as células desse órgão começam a se multiplicar de forma desordenada.

Estatísticas indicam que:

Esse é o segundo tipo de câncer mais mortal entre os homens. Um em cada seis homens é alvo da doença. Há um diagnóstico de câncer de próstata a cada 7,6 minutos. Há um óbito por câncer de próstata a cada 40 minutos. É o sexto tipo de câncer mais frequente no mundo. 95% dos casos de câncer de próstata já se encontram em estágio muito avançado e grave quando os sintomas começam a aparecer.

A doença em seu início não apresenta nenhum sintoma, por isso é de suma importância a realização de exames de toque e de sangue periódicos. O exame de sangue não substitui o de toque, visto que muitas vezes a doença não é detectada a partir do sangue, assim, os exames são complementares e devem-se fazer ambos.

Normalmente, os homens são mais resistentes a cuidar de sua saúde de forma preventiva e procurar um médico regularmente. Por isso na maioria das vezes a doença é descoberta tardiamente, apenas quando os sintomas começam a aparecer.

Os sintomas mais comuns são: vontades urgentes e repentinas de urinar, dificuldade para urinar, diminuição no jato de urina, aumento da frequência urinária, dores corporais e ósseas, insuficiência renal e fortes dores.

Como Prevenir o Câncer de Próstata:

Alguns hábitos para diminuir os riscos da doença

Uma dieta saudável. Rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais. Evitando gorduras, principalmente de origem animal. Atividade física. Ao menos 30 minutos, 5 vezes na semana. Controle de Peso. Evitar a obesidade e manter o peso adequado ao seu corpo. Diminuir o consumo de álcool. É indicado que o homem limite-se à apenas duas taças diárias. Não fumar. Essa é a principal regra para evitar qualquer tipo de câncer.

Participe você também do Novembro Azul e espalhe a conscientização da importância dos exames periódicos, da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata.

*Paikan Salomon de Mello e Silva é Vice-Presidente do PMDB em Curitiba, Graduado em Ciências Humanas, Especialista em Marketing e Administração Pública e militantes do do #NovoMovimentoDemocrático - facebook.com/paikansalomonmelloesilva 

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

O poder de um Congresso fraco e ineficiente

*por Joel Maraschin



Eu sei, a votação no Congresso que livrou Temer de mais uma, deixou você indignado, mas muito mais que fora fulano ou fica ciclano, você precisa entender que quem manda no Brasil, não é o Presidente da República, e sim o congresso nacional e seus 513 Deputados Federais. 

Desde a redemocratização do país e o fim da ditadura militar tem sido assim. Sabe por que Collor caiu? Muito mais que a denúncia fraca da Fiat Elba, seu partido era novo, pequeno, fraco, não tinha base no Congresso... Por isso foi cassado. 

FHC sempre teve o congresso na mão, seu partido já não era pequeno, por isso não correu nenhum risco em seus oito anos. Sempre usando dos artifícios necessários para manter a maldita governabilidade.

Lula foi o mestre da articulação política, trouxe os partidos maiores para o seu lado, soube governar juntinho do congresso e atendendo todas suas “demandas”. Quando surgiu o mensalão, e os riscos de uma cassação, não teve alternativa a não ser abrir as pernas do Petrobras e para garantir a governabilidade, e garantiu. Coptou, comprou e usou Deputados ao seu favor, principalmente do PMDB, que por décadas mantém a maior bancada.

Dilma já não teve essa habilidade. Até tentou no primeiro mandato, mas quando destruiu o tripé da economia e acabou com a meta fiscal, a crise começava, e os resultados da venda da Petrobras para os partidos da base começaram a virar escândalos e cair na mídia. Foi o prenúncio do fim.

Quando a PF deflagrou a Lava-Jato, Dilma já não tinha muito o que oferecer ao congresso fragilizado e temerário. A base começou a romper, e ela começou perder força na Câmara dos Deputado. As empresas que antes bancavam a farra, viram seus principais executivos presos, a torneira de dinheiro secava. Um a um, partidos que comeram e beberam do seu governo começaram a pular da barca, o PMDB foi o primeiro, e rapidamente veio o seu processo de cassação.

Assim chegamos a Temer, que não inventou a roda. Era vice de Dilma, vice de um governo que ele ajudou a construir. Vice de um governo que ele ajudou a coptar, comprar, negociar, chafurdar, e fazer o que fez. Agora Presidente, tanto na 1a como na 2a denuncia, o PSDB foi essencial para assegurar os votos necessários para frear os processos na Câmara dos Deputados.

Não sei se te surpreendo falando isso, mas a escola do Temer é a mesma de Lula, Dilma e FHC. Todos liberaram mais emendas quando precisaram de votos no congresso; todos deram mais cargos no governo quando precisaram de votos no congresso; todos abriram as portas de estatais quando precisaram de votos no congresso; todos sentaram na mesa das empreiteiras para pedir dinheiro para campanha. Tudo isso em prol da nefasta governabilidade!

Hoje só estamos colhendo os frutos que plantamos lá na redemocratização do Brasil elegendo o Congresso mais caro do mundo; mais corrupto do mundo; com um dos maiores números de Deputados do mundo e com menor produção de leis do mundo (de 2000 a 2010, menos de 20% das leis criadas são de origem do legislativo, poder existente exclusivamente para fazer isso e fiscalizar o executivo).

Um congresso caro, que trabalha pouco, ganha muito, manda no país e decide o futuro da sua vida. Este é o resumo do que você acabou de assistir, antes de qualquer publicação repleta de fanatismo e paixão é necessário lembrar de tudo isso que falei e para onde vai e onde está sendo usado o dinheiro dos impostos que você paga e não retornam em serviços, ficando na mão de um governo central, que usa do mesmo para infeliz governabilidade.

Como mudar tudo isso? Na teoria, voltar no tempo e evitar que Portugal nos colonizasse. Na prática, votar por convicção e não por favorecimento. E a mudança começa no quintal de casa. É triste te dizer isso, mas se este segundo item não mudar, o resto jamais vai mudar.

E se mudar, ainda assim, vai levar tempo, muito tempo, infelizmente!

*Joel Maraschin é jornalista, piloto de helicóptero, empresario,Vereador pelo PMDB em Butia-RS e militante do NovoMovimentoDemocratico  

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Um assessor pra chamar de seu.


         Olá (e)leitor, vou tentar manter esse espaço o qual me sinto inclinado a chamar "Breve e Direto", discutindo brevemente sobre impressões do processo político.

            Me incomoda o fato das assessorias da maioria dos políticos serem pouco profissionais. Estas -principalmente em primeiro mandato- tendem a escolher aqueles que fizeram campanha no bairro, na praça, a mão que panfleta e assa a carne, justamente por não entender o processo político e pagar dívidas morais de campanha. Porém esse perfil, embora necessário, não deveria compor a maioria do gabinete, afinal, uma coisa é divulgar, bater na porta, trocar a reputação conquistada em votos para o indicado. Outra, é converter demanda da sociedade em pauta, em proposta política, em defender o bem para aquele segmento social.
            Fica a impressão, geralmente certeira, que existe dentro das assessorias aquele indivíduo -que não se sabe o motivo de estar lá, desprovido de conhecimento político ou técnico- que por se sujeitar a coisas que a maioria não se sujeita, é até melhor pago pelo mandato. Não digo que todo mandato é assim, mas aposto que todos que leem este texto agora, forçando um pouco a memória, lembram de pelo menos um bom exemplo.

          O puxa-saco, o churrasqueiro, o sujo, o panfleteiro... A qualidade... Enquanto isso, não entendemos como aquele candidato não produz e quando o faz, sai uma aberração.



segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Membro do Novo Movimento Democrático é eleito presidente da Comissão de Ética do PMDB de São José dos Pinhais

Domingo, 22 de outubro de 2017, ocorreu pela manhã a Convenção Municipal do PMDB de São José dos Pinhais.

Além do Diretório e da Executiva, foi também eleita a comissão de ética e disciplina do Partido naquela cidade.

Fernando Tozi, membro do Novo Movimento Democrático, foi eleito para compor a comissão de ética e disciplina do PMDB de São José dos Pinhais.

"Fazer valer a Constituição e fazer valer o Programa, o Estatuto e o Código de Ética do Partido, para que possamos ser, além do maior partido do Brasil, também um partido mais próximo dos trabalhadores, trabalhadoras e estudantes, com olhos no futuro de nossa cidade e de nosso país, sem nunca esquecer a história e os princípios do velho PMDB de Guerra", este foi o compromisso assumido pelo jovem, que hoje tem apenas 21 anos e é filiado há dois anos no PMDB.

Está é mais uma prova de que o Novo Movimento Democrático ganha cada vez mais espaço no PMDB!

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Garantias fundamentais - Utopia?

*por Rafael Xavier


“Minha morte foi decretada no dia da minha prisão”**

Luiz Carlos Cancellier de Olivo, reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, se jogou, ontem, dia 02/10/2017, do vão central do Shopping Beiramar em Florianópolis.

Acusado de causar empecilhos às investigações da Corregedoria da UFSC, que analisa eventual desvios destinados a cursos de Educação à Distância em gestão anterior à sua, foi preso, junto com outras seis pessoas, no dia 14 de setembro.

Cancellier foi julgado? Não. Cancellier foi condenado pela mídia, exposto e ridicularizado perante a comunidade, tomou a extrema atitude de tirar a própria vida como ato político, por razões íntimas, fruto da vergonha de quem não suporta tamanha exposição, por uma prisão desnecessária. Não foi ouvido, não teve o direito de se defender, apenas teve seu nome jogado aos leões, à imprensa faminta por escândalos.

Punir midiaticamente alguém se tornou praxe no Brasil e qualquer voz que se levante e busque demonstrar à sociedade os absurdos e atrocidades cometidas quando não se observa o devido processo legal, vem sendo taxada de conivente e corrupta. Quando eram apenas políticos, o senso comum hipócrita e descomprometido com a justiça aplaudia. E agora?

Precismos ser contra qualquer tipo de ilegalidade e defender a punição daqueles que lesionam o erário, que desrespeitam o Estado, que nos ludibridiam com falsas promessas, mas, com muito mais força, precisamos ser a favor do Estado Democrático de Direto, da observância sine qua non de seus preceitos.

Que se expurgue do mundo a condenação prévia midiática e que todos tenham direito ao devido processo legal! Utopia? Não, apenas o cumprimento da Constituição Federal de 1988.

**Citando fonte da Polícia Civil, o jornal Diário Catarinense diz que Olivo deixou um bilhete: “Minha morte foi decretada no dia da minha prisão”.

*Rafael Xavier é Presidente do PMDB em Curitiba, Conselheiro Nacional e Vice-Presidente paranaense da Fundação Ulysses Guimarães e Coordenador Nacional do #NovoMovimentoDemocrático

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Há 6 meses no ar, blogue do Novo Movimento Democrático supera marca de 30 mil acessos. Muito obrigado!

Há 6 meses no ar, blogue do Novo Movimento Democrático supera marca de 30 mil acessos. Muito obrigado!



Lançado em fevereiro, o nosso espaço na internet surgiu com conceito colaborativo, em uma plataforma gratuita e sem nenhum tipo de divulgação paga. Optamos por publicações de artigos de opinião, notícias relevantes e reflexões sobre economia, direito, urbanismo e políticas públicas.

Sobre o coletivo: O Novo Movimento Democrático nasceu em em Curitiba, em outubro de 2016, visando oxigenar a vida partidária do diretório municipal do PMDB, num momento em que o sistema jurídico, político e eleitoral brasileiro estava a vivenciar sua maior crise de representatividade e credibilidade, desde a promulgação da Constituição Federal de 1988. 

Formado inicialmente por profissionais liberais, empresários, estudantes, intelectuais, trabalhadores de diversos setores, líderes comunitários, servidores públicos e educadores, o coletivo pretende discutir e implementar uma nova cultura política na sociedade contemporânea. Hoje contamos com representantes em diversos municípios do Paraná e em 6 estados  da Federação.

O grupo entende que há necessidade de um olhar mais solidário e humano para as relações interpessoais, que o lucro e o acúmulo de Capital não devem pautar as ações governamentais e que o Estado Necessário deve ser capaz de erradicar a pobreza e escancarar oportunidades de acesso às garantias fundamentais previstas na Carta Magna.

Participe do #NMD e ajude a transformar o Brasil:

Entre em contato acessando nosso Facebook, ou pelo seguinte e-mail:: pmdbpravoce@gmail.com 

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Popper, o paradoxo da tolerância, o ovo da serpente e o ovo de galinha

por Fernando Tozi*



Há alguns anos, enquanto contemplamos a linha do horizonte da jovem democracia em nosso país, podemos enxergar uma leve e translúcida casca prestes a se romper: o ovo da serpente, besta do fascismo e do autoritarismo, está as vias de se romper.

No dia 07 de agosto de 2017, enquanto sentados assistíamos o horizonte de nossas telas digitais, vimos outro ovo se romper: deste não saiu serpente, por ser de galinha, mas saiu apenas clara e gema na cabeça do presumível presidenciável João Doria. 

Inegável que o ovo poderia ter sido utilizado para alimentar os carentes, mas também inegável que, tal objeto, causando imensa inveja à sua genitora galinha, criou asas e aprendeu a voar para o local certo antes mesmo de se romper, causando espetáculo a ser repetido em todo o país (aproveito aqui, ainda, minha chance de parabenizar Maria Vitória, filha da vice-Governadora do Paraná, pelo belo casamento).

Obviamente na Democracia antes de debates jusfilosoficos acerca dos direitos fundamentais ou sociais, necessitamos debater uma forma para que todos possam expressar suas opiniões e exercer sua soberania popular sem que impeçam que os demais façam o mesmo, ou seja, devemos descobrir, necessariamente, quais práticas, espaços e discursos são aptos a ocuparem o espaço democrático a fim de que todos sejam ouvidos e, consequentemente, exista realmente Estado Democrático.

A partir desta reflexão, acabamos nos deparando com a seguinte situação: caso algum discurso/ato ameace a Democracia e impeça o direito de expressão e existência dos demais cidadãos, qual atitude deverá ser tomada?

É diante desta dúvida, potencializada pelo recente caso de neonazistas apoiando Bolsonaro, que ressurgiu o Paradoxo da Tolerância, de Popper, que pode ser resumido (mal e porcamente) nestas poucas palavras:

A tolerância ilimitada leva ao desaparecimento da tolerância. Se estendermos a tolerância ilimitada mesmo aos intolerantes, e se não estamos preparados para defender uma sociedade tolerante contra os ataques dos intolerantes, então, os tolerantes serão destruídos, e a tolerância juntamente com eles. Essa formulação não implica que devemos sempre suprimir as filosofias intolerantes, desde que tenhamos mecanismos para combatê-las com argumentos racionais, e que possamos mantê-las sob controle diante da opinião pública. [...] Devemos, portanto, em nome da tolerância, reivindicar o direito de não tolerar os intolerantes. Devemos enfatizar que qualquer movimento que pregue a intolerância deva ser considerado fora da lei, e considerar a incitação à intolerância e perseguição devido a ela, como criminal. (Popper, a Sociedade Aberta e seus Inimigos)

Portanto, de acordo com o autor, qualquer movimento que tente acabar com a existência de outros movimentos deverá ser sumariamente rechaçado, sob pena de ruptura democrática. 

Mesmo a tolerância tem limites: LGBTfobicos, racistas, nazistas, fundamentalistas e todos aqueles que tentam, através de atos e palavras, solapar a existência e destruir os direitos de seus iguais, deverão ser rapidamente criminalizados e punidos, a fim de que se mantenha a ordem democrática de nossa nação.

João Dória e Bolsonaro são exemplos de discursos que não poderão ser tolerados, o primeiro por deslegitimar a política (único meio de melhoras em nossa sociedade) e por seu higienismo na gestão de São Paulo e o segundo por seu discurso de ódio, machista e homofóbico, ambos amplamente repercutidos pela mídia e por seguidores insanos.

Desta forma, onde quer que tais sujeitos pisem, diante da omissão do estado, existe dever cívico e moral de cada cidadão em expulsa-los, a fim de que possamos exercer a tolerância em paz.

O ovo da serpente está Prestes a eclodir.
Que possamos fazer os ovos de galinha eclodirem primeiro!

*Fernando Tozi, acadêmico de Direito; filiado ao PMDB/PR,  membro da corrente interna Novo Movimento Democrático; membro fundador do Coletivo CORES - Unicuritiba.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Novo Movimento Democrático vence eleição na Convenção Municipal do PMDB Curitiba

O Novo Movimento Democrático venceu a eleição na Convenção do Diretório Municipal do PMDB de Curitiba realizada, neste sábado (5), na sede histórica do partido, que contou com a participação de 489 votantes. Obtivemos 290 votos contra 196 da chapa adversária!

Com tal resultado, o Diretório Municipal do PMDB passa a ser presidido pelo nosso companheiro, Rafael Xavier Schuartz. Também compõem o diretório nomes como Paikan Salomon de Mello e Silva, a vereadora Noêmia Rocha e o vereador Professor Silberto.

O Novo Movimento Democrático agradece os votos de confiança, os momentos de companheirismo e o compromisso de cada um que acredita e continua firme conosco na construção de uma nova cultura política.

O trabalho está só começando! Continuem conosco!